quinta-feira, 23 de abril de 2009

Elos que se unem...

Foto - J.Pio


Acorrentada nos estribos
secretos de mim própria,
na pequenez ínfima
que me dizima
não sou nada.
Despida de mim
entregue
à imensidão apenas
de ser,de sentires ignóbeis,
primários,
Onde os artefactos
pouco importam...
Percorro os caminhosda minha alma
e neles encontro
os elos que me ligam
que se ligam
e me fazem emergir
e sustentar o mundo
na palma da minha mão,
quando as correntes
se desprendeme caem por terra
desamparadas...
enquantoos elos se unem!

In - Mares d'Alma - Pág.52

5 comentários:

Eduardo Leal disse...

Olá!

Então o livro, tem sido o sucesso que merece?

Beijos,

Paulo Sempre disse...

Voltar a este blogue é sempre um deslumbramento.
Aqui "respira-se" poesia....

Beijo

Sofá Amarelo disse...

Sempre gostei de elos que ... nos prendem... porque queremos!

Muitos beijinhos!!!

Paulo Sempre disse...

Mares d, Alma ....

Paulo Sempre disse...

" (...)quando as correntes
se desprendeme caem por terra
desamparadas...(..)"

Beijo

Paulo